O Projeto

Revitalização da Estação Ferroviária de Santa Bárbara d´Oeste

O Projeto de Revitalização da Estação Ferroviária de Santa Bárbara d´Oeste, denominado de Estação Cultural, prevê a revitalização completa da antiga estação ferroviária da cidade, datada de 1917 e hoje desativada, para criação de um Centro Cultural aberto a toda a comunidade. A primeira etapa com a revitalização dos seus prédios históricos, concluída no final de 2006, com investimentos de R$ 531.844,00, contou com o patrocínio das Indústrias Romi S.A., sendo parte (74%) incentivada através da Lei Rouanet, artigo 26, conforme PRONAC 057003. A fase final da implantação do projeto será em 2007. Depois de pronto, esse projeto colocará à disposição da comunidade , no prédio da estação, um memorial da ferrovia, exposições temporárias, biblioteca, videoteca e, no prédio do antigo armazém, um auditório para 200 pessoas e espaço para oficinas culturais. Um novo prédio de arquitetura moderna, contrastando com as construções antigas, dará origem a um espaço de convivência, com bar/café, revistaria, etc. Uma grande área verde em todo seu entorno, com pista de caminhada, transformará o local, hoje degradado pelo tempo, em uma grande praça pública.

Esse projeto nasceu da vontade de mudar um local marcado pelo abandono e pela degradação que incomodava a todos. A percepção dos problemas advindos dessa situação, levou a Fundação Romi a discutir o assunto com a RFFSA - Rede Ferroviária S.A., proprietária de toda área, até que, em abril de 2005, um contrato de cessão de uso da RFFSA para a Fundação Romi foi assinado, para que os imóveis da estação fossem revitalizados, assim como as áreas adjacentes, e criar nesse local um Centro Cultural que se chamará de Estação Cultural. Além das oficinas de iniciação á pintura, escultura, música e teatro, a Estação será palco de vivência cultural de todos os segmentos da comunidade barbarense, em toda a sua diversidade.

Apoio:

 

a) APRESENTAÇÃO

A escassez de ofertas públicas de bens culturais afetam as possibilidades de contato e interação entre as pessoas de diferentes grupos sociais, dificultando ou impedindo a geração de comunidades plurais e socialmente integradas. Há uma demanda reprimida em que o Estado como um dos principais transformadores do espaço urbano assim como pelo desenvolvimento de projetos culturais comunitários, não consegue atender. Essa realidade se expressa em níveis crescentes de segregação cultural, contribuindo para a desintegração e marginalidade social. Essa segregação cria “guetos” de famílias marginalizadas, carentes culturalmente, que as tornam vulneráveis à pobreza e ao subdesenvolvimento.

b) JUSTIFICATIVA

A Estação Cultural é produto da revitalização da antiga estação ferroviária de Santa Bárbara d’Oeste que era, até a revitalização, uma área degradada, física e socialmente, contribuindo para o crescimento da marginalidade e de operações ilícitas. Com isso, a comunidade readquiriu um espaço próprio para as vivências culturais como forma de desenvolvimento social.

c) POPULAÇÃO ALVO

- Comunidade em geral, onde a interação dos diferentes segmentos sociais, contribui para diminuir a segregação espacial, decisiva para a eliminação dos padrões de desigualdade social.
- Secretaria de Promoção Social do município de Santa Bárbara d’Oeste para atividades com beneficiários do CIMCA – Centro de Integração Municipal da Criança e Adolescente, Grupos de Terceira Idade e demais usuários do sistema de proteção social.

d) OBJETIVO GERAL

Formação de público: O grau e a amplitude da apreciação de obras culturais dependem fundamentalmente da percepção do individuo que pode ser mais intensificada e aprimorada pela vivência e conhecimento cultural. Por meio de eventos com esse objetivo, a comunidade poderá elevar o seu “status” cultural, possibilitando um olhar mais amplo das diferentes situações de vulnerabilidade social e formas de combatê-las.

e) OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Alunos das escolas públicas: introdução de temas curriculares, como ciências, história, matemática, meio ambiente, folclore, tradições populares, através da vivência teatral, musical, exposições e oficinas de fotografias, pintura, escultura, artesanatos, etc.

f) METAS

Curto prazo: incentivar á população para a vivência cultural de qualidade e interação social.

Médio prazo: Difundir, cada vez mais, as diferentes formas de expressão cultural, formação de um público capaz de apreciá-las e utilizá-las para o desenvolvimento e desempenho da cidadania.

Longo prazo: Contribuir para a melhoria da qualidade de vida no município e ascensão social.

g) METODOLOGIA

Cine Debate: Projeção de filmes, seguida de debate com especialistas nos temas abordados pelo filme.
Musica Instrumental: apresentação de músicas eruditas ou populares instrumentais com informações técnicas dos instrumentos musicais, além dos aspectos históricos, folclóricos e rítmicos.
Exposições de artes/ fotografias: divulgação da história relacionada ao município, diferentes estilos de pintura, escultura, divulgação dos artistas de renome. etc.
Oficinas: habilitação, aperfeiçoamento das diversas formas de expressão artística, aspectos técnicos, históricos,.
Eventos: tradições, palestras, divulgação.

h) RECURSOS HUMANOS

02 - Assistentes Culturais
02 - Auxiliares de limpeza geral
04 - Segurança
02 - Serviços Gerais

i) AVALIAÇÃO

A avaliação das programações é feita cotidianamente através do livro dos visitantes e das respostas aos questionários.  As manifestações feitas evidenciam o entendimento e a aprovação da população do objetivo da Estação Cultural.

População beneficiada em 2008: 18.500 pessoas

Fundação Romi - Copyright ® 2009 - Todos os direitos reservados - Política de Privacidade