Sua colaboração vai nos ajudar a fazer o mundo melhor através do desenvolvimento social, cultural e educacional.

Arraste para escolher o valor

Clique e digite outro valor

R$

Exposição com registros do jornalista Anderson Junque, faz parte de programação cultural da Fundação Romi.




Como parte das comemorações dos 60 anos de lançamento do Romi-Isetta, a exposição Missão Moçambique, com registros do jornalista Anderson Junque, será aberta ao público no Encontro Nacional de Romi-Isettas, com entrada franca, em 03 de setembro de 2016, a partir das 9h, no hall do Centro de Documentação Histórica da Fundação Romi, em Santa Bárbara d'Oeste.

As imagens captadas retratam crenças e costumes africanos. Anderson Junque, 38, passou metade de suas férias de maio, em Moçambique, país localizado no sudeste da África. Foram 15 dias conhecendo, convivendo e ajudando as comunidades das províncias de Maputo, Gaza e Inhambane. A viagem foi realizada por meio da Expedição Missionária Salesiana de São Paulo. O resultado dessa experiência pode ser visto nesta exposição, que permanece na Fundação Romi até o dia 23 de setembro. O espaço é aberto à visitação de segunda à sexta-feira, das 7h30 às 16h30. Grupos podem realizar agendamento através do telefone (19) 3499-1555.

As imagens registradas pelo jornalista revelam os costumes, celebrações, danças típicas e cultos religiosos do país africano. "Tentei mostrar [por meio dos registros fotográficos] como a maneira de viver de outros povos é diferente da nossa. Às vezes, a gente acha que o nosso modo de viver é o correto, o certo, o único que existe. Mas a partir dessa experiência, posso dizer que essa premissa não é verdadeira", analisa Junque.

Para transformar sua experiência em uma exposição fotográfica, Junque contou com a colaboração do publicitário Diego Dusso, 33. "Foi ele quem me ajudou a filtrar e indicar as imagens que compõem a mostra, além de fazer todo tratamento das fotos", destaca. Ao todo, estão expostas 25 fotos que destacam os costumes e particularidades culturais da população. "Fiz aproximadamente 1,1 mil [imagens], mas as escolhidas são as que melhor retratam a realidade do povo moçambicano", antecipa.


Exposição Educativa para Públicos Especiais


Durante o "Encontro Nacional de Romi-Isettas", buscando promover o acesso de grupos de pessoas com deficiências sensoriais, físicas e intelectuais ao evento, por meio de um educador habilitado em LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) e a disponibilização de exemplares do Romi-Isetta para experimentação tátil, a Fundação Romi, através da equipe do CEDOC realizará visitas monitoradas educativas. A proposta é garantir a democratização do acesso e a autonomia de visitação ao público com deficiência. Para mais informações sobre esta ação contate o Centro de Documentação História da Fundação Romi pelo telefone (19) 3399-1555.

O "Encontro Nacional de Romi-Isettas" é aberto ao público e com entrada franca. Acontece em 03 de setembro de 2016, a partir das 9h, na Fundação Romi, em Santa Bárbara d'Oeste. Nele, os visitantes poderão prestigiar a exposição de exemplares originais do pequeno pioneiro além de terem a oportunidade de um contato direto com colecionadores de diversas partes do Brasil. Poderão, ainda, acompanhar a carreata de Isettas pelo centro da cidade de Santa Bárbara d'Oeste, aproveitar as apresentações culturais do Coral de alunos do Núcleo de Educação Integrada, da Orquestra Barbarense de Violas e do grupo barbarense de maracatu Baque de Santa. Divertir-se na feira gastronômica com os foodtrucks que estarão no estacionamento da Fundação Romi, na gincana que premiará, com um brasão de "honra ao mérito", dentre outras categorias, os colecionadores mais altos, os mais velhos, a maior família dentro de um Romi-Isetta, etc.

Receba nossas novidades

19 3499.1558

Av. João Ometo, 200, Jd. Panambi - Santa Bárbara d'Oeste, SP

Que tal uma visita?

© Fundação Romi - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por